terça-feira, 16 de novembro de 2010

Quero!

Quero acordar de manhã e fingir que a solidão não existe, 
quero enchugar as lágrimas e apagar do meu rosto esse sorriso triste!
Quero olhar da janela e além das  montanhas enchergar ao mar,
quero pedir com soluços que o frio oceâno me ensine a amar!
Quero que o vento me traga aquele que um dia roubou meu sossêgo,
quero o ladrão de corações que enibria minha mente com beijos macios de pêssego!
Quero o meu amor ao meu lado, cuidando de mim e me fazendo chamego,
quero que venha mansinho e bem de levinho massageie meu ego!
Quero chamar-lhe atenção, roubar e invadir o teu coração!

sábado, 6 de novembro de 2010

Chuva...

 Ao acordar, abro a janela... Chuva... 
Tudo está cinza, nuvens carregadas e pesadas parecem querer cair do céu. Por um instante, paro e coloco minha mão para fora da janela, deixando que os pingos da chuva fina toquem a minha pele. Tempo bom para dormir, penso. Me debruço no peitoral e observo a chuva engrossar, prestando atenção na textura das nuvens e no vôo de um ou outro pássaro que talvez estivesse querendo um banho ou um abrigo!
Como é belo esse momento, em pensar que muitas pessoas não sabem, hoje, apreciar a beleza daquilo que Deus deixou pra nós. Não sabem que depois da chuva sempre tem um arco-íris como sinal de que a Terra não será mais destruida com água. E que esse mesmo arco-íris pode significar recomeço e que essa chuva pode servir para limpar a sujeira que nós mesmos fizemos na terra, que serve também para trazer a vida e fazer crescer varias plantas , que tentam incansavelmente limpar o ar que respiramos. 
Olho mais uma vez todo o quadro da minha janela. Respiro fundo. Passo a mão pelo rosto, dou um passo para traz e fecho o vidro. Sento na cama e agradeço a Deus pela chuva, pela vida, pelo amor, pela chance de recomeço, pelos amigos, pela proteção, enfim, por tudo.
Ahhh... Como eu amo a Chuva!

sábado, 16 de outubro de 2010

Fardas e leços!

  Ontem, na igreja de Olaria, aconteceu a Cerimônia do Lenço que investiu mais de cinco desbravadores do clube Lírios do Vale de Lorena. Foi uma cerimônia muito bonita, embora tenha tido alguns imprevistos como a fumaça das tochas tomando o ambiente... rsrsrs...  
Teve até batismo. Conheci mais dois primos e uma prima que eu nunca imaginaria que fossem da minha família! Voltei a pé, com o Luis Gustavo e o Maxweel. Ainda vi o Thomas na frente do colégio Objetivo falando ao celular rerere dei um grito "EI"... ele acenou. Cheguei em casa o Gabriel ainda não tinha chego da rua, liguei pra todo mundo antes de descobrir que ele estava na casa da minha tia Loli; minha mãe queria matar ele, que não avisou aonde ia. De acordo com a minha tia, os filhos vêm com esse defeito!!! 
Deitei na cama e não vi mais nada... nem ouvi o despertador tocando, tentando me avisar que era hora de ir pra igreja... acordei 10:30 da manhã... que situação... pelo menos descancei, afinal eu estava que era só caco!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Traumas

Hoje fui à Aeronautica para realizar exames, de sangue, raio x, e marcar audiometria... 
Embora eu saiba que a maioria das vezes são os alunos que retiram o nosso sangue, nunca havia ocorrido o que se sussedeu hoje. 
Estava eu tranquila, esperando a minha vez na sala de espera, olhando o catálogo da natura, até que enfim me chamaram. Toda vez que vou fazer exames minha mãe me acompanha, mas dessa vez ela ficou na sala de espera. Sentei na cadeira, coloquei o meu braço no apoio; como já é quase rotina ser furada, mostrei em qual braço era mais fácil para achar a veia. Porém, era aluno novo tenho quase certeza, o enfermeiro não achou a minha veia, mas furou mesmo assim.Cutucou o meu braço com a agulha pra tudo quanto é lado, e como se não bastasse, retirou a agulha e furou o outro braço também. Repetiu o procedimento, virando a agulha pra tudo quanto é lado dentro do meu braço que já estava dormente. Não senti dor na hora, por causa da dormencia no braço, mas senti ância e tontura, e quando sai de lá e o braço voltou ao normal chorei de dor por um  bom tempo!
É, acho que peguei trauma de agulas... rs.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Muito bom!



É, eu tive um ótimo "Final de Semana com Deus". Ganhei novos amigos, tive a oportuninade de relembrar os velhos tempos com um amigo que fazia tempo que eu não conversava, brinquei bastante, ri com todos e de todos, e fui zuada de montão... rsrsrs!
No final, eu queria que nunca acabasse, o ar do campo é diferente do da cidade, faz-nos sentir livres de responsabilidades maiores, nos acalma, nos relaxa, e traz paz!
Agradeço a Deus por esse feriadão! Foi o melhor de todos!